Sábado, 23 de junho de 2018
62 9 9849-3426
Polícia

18/05/2018 ás 06h08 - atualizada em 22/05/2018 ás 20h27

27

Iury Martins

Niquelândia / GO

Força-tarefa da Polícia Civil apreende 22 celulares em prostíbulos da área central
Delegado de Niquelândia suspeita que familiares de presos compravam aparelhos para tentar infiltrar os celulares dentro da cadeia local
Força-tarefa da Polícia Civil apreende 22 celulares em prostíbulos da área central
Varredura da Polícia Civil foi feita em vários 'quartos' existentes nos fundos de bares próximos da Rodoviária de Niquelândia: trabalho consistiu na busca de objetos furtados, uma vez que a prostituição não é mais crime no Brasil, há vários anos (Foto: Po

Agentes de investigação Polícia Civil de Niquelândia – lotados na delegacia da cidade e no Grupo Especial de Repressão a Narcóticos (Genarc) – realizaram a apreensão de 22 aparelhos de telefone celular de procedência duvidosa na tarde desta quarta-feira (9).


De acordo com o delegado Cássio Arantes do Nascimento, a ação da força-tarefa da PC local focou sua ação em bares conhecidos como pontos de prostituição no entorno do Terminal Rodoviário de Niquelândia, próximo do Setor Central, onde foram cumpridos os mandados de busca e apreensão. Uma porção de crack e outros objetos suspeitos também foram localizados.


Suspeita-se que no local, segundo a autoridade policial, os dados originalmente contidos na memória dos aparelhos com registro de furto/roubo eram apagados e preparados com chips de outras operadoras e também com a instalação do aplicativo WhatsApp (no caso dos smartphones), onde os preços de revenda do produto ilícito variavam de acordo com as funcionalidades de cada aparelho.


Celulares aprendidos em bares onde funcionam pontos de prostituição em Niquelândia: atividade ilícita foi desbaratada pela Polícia Civil (Foto: Divulgação/Polícia Civil)


“Investigações que nós realizamos levantaram a suspeita de que parentes ou pessoas próximas dos presos recolhidos na cadeia adquiriam os aparelhos nesse local (os pontos de prostituição) para tentar ingressar com os celulares no interior do presídio, possivelmente no dia reservado às visitas no local, de tal forma que seriam usados por eles (os detentos) para empreenderem suas ações delituosas de dentro do ambiente carcerário. Com esse trabalho, estamos impedindo a ocorrência de novos crimes, principalmente o tráfico de drogas e roubos encomendados por esses detentos”, comentou o delegado de Niquelândia.


Normalmente, segundo a autoridade policial, as mulheres dos detentos colocam os aparelhos na vagina ou no ânus para essa tentativa de infiltrar os celulares no presídio local. Mas Cássio prefere não divulgar os casos, para evitar constrangimento às mulheres em situações do tipo.


O resultado obtido nessa ação nos prostíbulos de Niquelândia foi desencadeada dentro da Operação Maio 10, da 10ª Delegacia Regional da Polícia Civil (10ª DRP) de Uruaçu cujo titular é o delegado Rodrigo Pereira.


Viaturas da PC fecharam, literalmente, as entradas e saídas da rua lateral da rodoviária de Niquelândia, onde celulares foram localizados em pontos de prostituição (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

FONTE: Excelência Noticias

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados